15 comidas típicas (e deliciosas!) da região Centro-Oeste

Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal: o que esses estados têm em comum? Uma culinária que merece ser conhecida por todo mundo! Veja 15 comidas típicas do Centro-Oeste que dão água na boca.

Comidas típicas centro oeste

As comidas típicas do Centro-Oeste vão desde as mais populares às mais exóticas e algumas têm nome de uma coisa e textura, sabor e temperatura de outra, como a sopa paraguaia. Sem mencionar aquelas que levam carne de jacaré!

Elas representam o quão vasta e diversa é a culinária brasileira e, assim como a maior planície alagável do mundo – o Pantanal, que fica na região – têm muita diversidade.

Essa parte do Brasil é formada pelos estados do Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS), Goiás (GO) e pelo Distrito Federal (DF) também e, em cada cantinho, existe um prato surpreendente e saboroso, pode apostar.

Comer é um dos prazeres da vida, além de ser cultura, então, continue lendo este artigo para navegar por algumas comidas típicas do Brasil e por um pouco da história do país.

Qual a origem da culinária do Centro-Oeste?

Os pratos típicos da região Centro-Oeste receberam influência direta dos povos indígenas e, como acontece no Brasil todo, também dos portugueses, afinal, o país foi colônia de Portugal e, nesse período, arroz e frango, por exemplo, acabaram incorporados à alimentação nacional – junto com outros insumos.

Por fazer divisa com o Paraguai e a Bolívia, a culinária da região se misturou à desses países, agregando, por exemplo, a sopa paraguaia (que de sopa não tem nada!) e as conhecidas saltenhas bolivianas, um tipo de salgado assado que pode ter diversos recheios.

Com essa mistura de tradições, diferentes ingredientes passaram a ser usados para dar origem aos mais diversos pratos.

Quais são os ingredientes típicos da região Centro-Oeste?

Os peixes de água doce são um dos principais insumos usados nas receitas de pratos do Centro-Oeste, justamente por essa ser uma região repleta de rios. Mas é claro que a culinária tão vasta de lá não fica só nas carnes brancas: o Centro-Oeste é extremamente conhecido também pelo churrasco.

Também fazem parte do cardápio típico, as carnes de caça, o aipim – conhecido em outras partes do país como mandioca ou macaxeira – e a guariroba ou palmito, mais um ingrediente que tem outros nomes Brasil afora e é uma importante herança da culinária indígena.

Outro componente famoso de receitas do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, de Goiás e do Distrito Federal é o famoso pequi, uma fruta! E, de brinde, vai a resposta para uma dúvida que você pode ter sobre ele: “pequi é fruta ou verdura?”.

Os temperos, por sua vez, são aqueles comuns na maioria das casas brasileiras, como cebola, alho e salsa, mas outros mais específicos da região merecem destaque, como o gengibre e o açafrão.

Veja, a seguir, em que pratos esses ingredientes e alimentos são usados.

15 comidas típicas da região Centro-Oeste

Aqui está uma seleção de delícias do Centro-Oeste que combinam influência indígena com a portuguesa e/ou a de outros países! Saboreie, mesmo que seja só com os olhos por enquanto.

1.  Arroz com pequi

Arroz pequi Goiás

Esse prato é uma relíquia do estado de Goiás e uma das comidas típicas mais populares da região. O melhor de tudo é que ele é muito fácil de fazer, porque o segredo do sabor está justamente no pequi!

Quem segue a receita ou a experimenta em um restaurante típico encontra intensidade, amargor e uma leve picância. E como identificar o fruto? Ele tem polpa macia e amarela, como na foto!

O pequi é adicionado na hora de refogar o arroz e toda a mistura, bem amarelada, é temperada com açafrão em seguida. Só cuidado ao comer, porque você pode encontrar uma espécie de “espinho”.

2.  Sopa paraguaia

Sopa paraguaia

No Mato Grosso do Sul, é clara a influência do Paraguai por causa da fronteira entre o país e o território nacional, localizada a apenas alguns quilômetros de viagem de carro ou ônibus. A influência também aparece na alimentação, com a chamada “sopa paraguaia” que, de sopa, só tem o nome mesmo.

Essa receita é um tipo de torta que leva milho, queijo, cebola e mandioca ralada. A origem do nome “sopa” é indefinida, no entanto, algumas pessoas supõem que tenha relação com a textura um pouco mais úmida de torta.

3.  Caldo de piranha

Caldo piranha

Dizem que esse prato é responsável por dar aquela energia – sabe a história de que piranha é afrodisíaca? Pois é!

Grande protagonista do caldo, esse peixe de água doce é encontrado nas regiões pantaneiras e, além de nutritivo, possui ômega 3 e outros nutrientes, com o bônus de sabor e aroma super marcantes.

A piranha deve ser cozida antes do preparo da receita para a retirada das espinhas. Depois, é só adicionar o peixe ao caldo, que leva água e temperos, e misturar por um tempo no fogo.

4.  Mojica de pintado

Mojica pintado

“O que vem do rio com mandioca” e “engrossar o caldo com aipim” são significados do termo “Mojica”, que tem origem indigena. E a Mojica de pintado é mais um prato que leva esse alimento da família dos tubérculos.

O aipim (ou mandioca) faz dupla com uns dos peixes mais queridos do Centro-Oeste, o pintado, cortado em pedaços e levado para cozinhar junto com caldo, bem lentamente para que a carne fique macia e os ingredientes se incorporem.

Há quem adicione temperos diferentes para dar um toque especial, como leite de coco, azeite de dendê e vários tipos de pimenta.

5.  Pacu assado ou frito

Pacu assado forno

O pacu ganha destaque entre todos os peixes preparados e vendidos no Centro-Oeste. É mais um peixe de rio, que fica gostoso tanto assado quanto frito e, principalmente na primeira versão, costuma ser servido com acompanhamentos como farofa, vinagrete e mandioca.

Antes de levar o pacu ao forno (imagem acima), quem prepara a receita assada deixa o peixe em uma marinada, ou seja, já aberto e sem escamas, mergulhado em uma mistura de temperos que inclui cebola, alho, pimenta, cheiro-verde e outros tipos de ervas.

A versão frita do pacu costuma aparecer nos cardápios como “costelinha de pacu à milanesa” ou algo do tipo e o nome já diz tudo! Acrescente umas gotinhas de limão e sirva-se! Dá uma olhada na foto aqui embaixo.

Pacu frito

6.  Farofa com carne de jacaré

Farofa carne jacare

Esse é um dos pratos exóticos da região porque leva carne de jacaré, que é branca e tem textura e aparência semelhantes às do frango, sabor suave, mas dureza um pouco maior se comparada com a carne de aves.

O comércio dessa carne é completamente legalizado e quem visita Bonito, no Mato Grosso do Sul, por exemplo, chega a encontrar até pastel recheado com ela.

Antes de ir na farofa, a carne de jacaré também fica algum tempo marinando (e amolecendo) em uma combinação de temperos. Depois disso, pode ser cozida ou assada e, então, usada na receita final.

7.  Arroz boliviano

Arroz boliviano

O arroz boliviano é bem típico do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, por exemplo. Ele é um prato farto e que leva banana-da-terra, ovos, carne moída, linguiça e outros alimentos, como legumes e pimentões, que dão sabor e ainda mais cor à receita.

Esse preparo é claramente uma influência da culinária boliviana, como o nome já diz, que agrega culturas diferentes, por sinal, incluindo a espanhola e a indígena. Ele é uma verdadeira experiência gastronômica. Vale experimentar.

8.  Galinhada com pequi

Galinhada pequi goias

Ele de novo: o pequi – que, na galinhada, se junta a mais um ingrediente, a carne de galinha ou frango e, claro, a muitos temperos, para formar uma explosão de sabores e aromas.

Essa comida típica é geralmente escolhida como prato principal de encontros familiares e reuniões de amigos do Centro-Oeste; é uma daquelas delícias que ficam na lembrança, acompanhada sempre por bons momentos.

9.  Caribéu pantaneiro

Na descrição fica: Caribéu pantaneiro carne-seca aipim

Esta comida típica da região pantaneira leva carne-seca e aipim, tudo refogado com temperos variados.

O prato, por dar aquela “sustança”, é um dos que acompanhava as comitivas de boiadeiros no passado e acompanha ainda hoje, ajudando todos a se manterem fortes durante os trajetos que podem durar dias ou até semanas.

10.  Macarrão pantaneiro

Macarrão comitiva pantaneiro espaguete carne-seca

Esse é o outro prato típico que acompanha as comitivas de boiadeiros, geralmente feito com massa do tipo espaguete e molho de tomate. O diferencial da receita está na incorporação de carne seca desfiada, junto com cebola, alho e ervas.

Seu preparo não tem segredo, mas o macarrão pantaneiro, ou macarrão de comitiva, é, com certeza, um símbolo genuíno da cultura do Centro-Oeste.

11.  Arroz pantaneiro

Arroz comitiva pantaneiro carreteiro

O arroz pantaneiro, arroz carreteiro do Centro-Oeste ou até mesmo arroz de comitiva é uma adaptação do arroz carreteiro que surgiu no Rio Grande do Sul com temperos e carne-seca específicos da região do meio do país.

Ele nada mais é do que o arroz carreteiro feito por participantes de comitivas, no passado, que subiram do Sul para o Centro-Oeste e precisaram fazer mudanças nas receitas conforme seguiam caminho e de acordo com os insumos encontrados em cada região.

12.  Sobá

Sobá

Famoso especificamente no Mato Grosso do Sul – terceira maior colônia japonesa do país – o sobá tem origem no Japão e foi trazido à região justamente por uma pessoa nascida no oriente e que migrou ao Brasil para viver, junto com sua família, em terras sul-matogrossenses.

É uma mistura de macarrão e omelete ou ovo cozido, em um caldo bem temperado, tradicionalmente servida com carne de porco e muuuita cebolinha, mas já ganhou versões adaptadas por todo o estado e fora dele também.

Em 2006, tornou-se patrimônio histórico e cultural da capital do MS, Campo Grande.

13.  Chipa

Chipa

Mais uma estrela do Centro-Oeste, a Chipa é semelhante ao pão de queijo no sabor, mas não no formato: ela difere totalmente da versão “bolinha” dos pãezinhos comuns e, tradicionalmente, ganha o desenho de uma ferradura! Já viu?

A chipa tem origem em países próximos à região, como Uruguai, Paraguai e Argentina, e é servida na mesa de café da manhã ou quando alguém faz um bom brunch. Mas só para quem segue o que manda o figurino, tá? Tem muita gente que gosta tanto do salgado que come a qualquer hora do dia! Inclusive no almoço!

14.  Empadão goiano

Empadão goiano

Um empadão grande de verdade, com sabor rico e autêntico e massa crocante, que leva palmito de guariroba, carne de porco e de frango no recheio.

Outros temperos dessa receita podem variar de acordo com as particularidades de quem cozinha e das cidades e estados da região. Não é raro que o empadão ganhe legumes e bacon também.

15.  Bolinho de arroz cuiabano

Bolinho arroz assado cuiabano

O bolinho de arroz cuiabano é assado, não frito, e sua receita leva mingau de aipim, coco e especiarias como a canela. Todo mundo precisa provar!

Ele não tem nada a ver com o bolinho de arroz conhecido em outras partes do país, mas, assim como todas as outras receitas, pode ser feito com o arroz que “sobrou” da refeição anterior. Simples, delicioso e criativo!

Que delícia, né? E, dentre todas essas 15 maravilhas típicas, será que tem alguma que é a estrela principal? Segue o fio para descobrir.

Qual o prato principal do Centro-Oeste?

Diante de tantas opções, não existe um, mas alguns pratos típicos da região que precisam ser experimentados por qualquer pessoa que tiver a sorte de viajar até lá! Destaque para a sopa paraguaia, o arroz com pequi, o caribéu pantaneiro e o pacu assado e servido com acompanhamentos ou a costelinha de pacu frita.

E de sobremesa, o que é típico? Saiba agora!

Quais os doces típicos da região Centro-Oeste?

Sem dúvida, não tem como falar de pratos tradicionais e, principalmente, de comidas típicas do folclore do Centro-Oeste sem citar, pelo menos, algumas delícias doces além das salgadas. Anote para não esquecer: furrundu e boi-pá são os nomes que você deve procurar quando estiver por lá.

O furrundu tem base de rapadura e de mamão verde, que é descascado e depois ralado e o boi-pá leva abóbora, canela, raspas de limão e também rapadura (muito usada para substituir o açúcar, não só nesta, como em várias partes do país).

O fruto pequi também vira doce na região, bem como a mangaba, parecida com um pequeno coquinho de cor amarela-avermelhada e transformada até em sorvete!

Enfim, essas são as principais sobremesas que a população do Centro-Oeste coloca à mesa depois do almoço ou do jantar ou quando bate aquele desejo por um docinho.

Agora, você conhece um pouco dos costumes culturais e gastronômicos de outra parte do vasto e incrível Brasil.

Visite o blog Deliway para explorar listas de comidas típicas nordestinas e das receitas mais famosas da região Norte também. Esperamos que goste e até a próxima.

E-Book grátis

15 ideias de embalagens para inovar no delivery

O que você achou do post?

56 Respostas

Deixe seu comentário