Culinária indígena: pratos típicos que consumimos até hoje

A culinária indígena é conhecida pela variedade de sabores, aromas, temperos e ingredientes naturais e influencia a cozinha brasileira desde os primórdios. Entenda um pouco mais sobre ela, embarcando com a gente numa viagem cultural deliciosa!

Culinária indígena

Do Oiapoque ao Chuí, a variedade de aromas, temperos e ingredientes naturais que compõem a culinária indígena fazem parte da cultura brasileira antes mesmo da chegada dos colonizadores portugueses ao país.

Com ingredientes locais, como frutas, peixes, mandioca, pimenta e milho, retirados da natureza através de atividades de caça e coleta, as receitas dos indígenas brasileiros são um traço cultural importante e que deve ser respeitado, já que fazem parte da sua identidade.

Apesar de muitos preparos terem sofrido diversas modificações ao longo do tempo, por europeus e africanos, a gastronomia indígena sobrevive ainda nos dias atuais e segue enraizada nas cozinhas do Brasil inteiro.

Conheça um pouco mais sobre ela, que faz parte das nossas origens, e embarque com a gente nessa viagem cultural, histórica e deliciosa!

A influência da alimentação indígena na culinária brasileira

A culinária brasileira herdou vários aspectos da alimentação indígena no geral, desde os ingredientes, como a mandioca em suas mais diversas formas, até os hábitos alimentares que possuímos no dia a dia.

Sabe aquele hábito que as avós têm de preparar um chazinho com plantas medicinais para tomar antes de dormir? Pois é!

A comida dos povos indígenas era feita com alimentos que fazem parte do nosso cardápio hoje em dia também, a exemplo das frutas, grãos, raízes, peixes e ervas.

E o modo de preparo das receitas se faz presente nos pratos atuais, desde o tempero, carregado com todos os tipos de pimenta e sal, até a maneira de assar, principalmente o peixe – em folhas de bananeira.

Não é à toa que as comidas típicas do Brasil, toda a sua versatilidade e miscigenação, estão entre os maiores atrativos para os turistas que passam por aqui! Grande parte dessa herança vem dos nativos que habitaram e ainda habitam o nosso território.

A seguir, descubra quais os principais alimentos cultivados por esses povos e como eles são utilizados nos mais diversos pratos típicos da cultura indígena.

Quais os alimentos cultivados pelos indígenas?

Milho, feijão, mandioca e abóbora eram alguns dos principais alimentos cultivados pelos indígenas muitos séculos atrás, todos essenciais para a alimentação, já que eles plantavam para consumir, além de viverem da caça e da pesca.

Os alimentos plantados, cultivados e colhidos pelas comunidades indígenas eram utilizados como base para pratos típicos e iguarias indígenas que nós vamos mostrar para você agora. Confira!

15 comidas típicas indígenas para você conhecer

Pamonha, beiju, paçoca de banana-da-terra, canjica e bolo de milho: você conhece ou já comeu algum desses? Se a resposta for sim, saiba que você está consumindo alimentos de origem indígena!

Confira mais de uma dezena de comidas típicas dos povos nativos brasileiros, que trouxemos para você em uma lista cheia de sabor.

1.  Caruru

Caruru

Hoje um preparo tradicional baiano, um alimento pertencente ao ritual do Candomblé e um dos principais acompanhamentos do delicioso acarajé, o caruru que a gente conhece tem muita influência dos povos indígenas nativos do Brasil.

Dizem por aí que ele era feito como uma "cópia" da receita original africana, que leva quiabos, mas com ingredientes que só são encontrados em solo nacional. O prato ganhou fama também pelas excelentes propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, então, vale experimentar.

2.  Beiju

Beiju

O biju ou beiju é um dos preparos à base de mandioca que nós herdamos dos povos indígenas.

Ele costuma ser bastante confundido com a tapioca, mas, apesar de parecidos, existe uma diferença fundamental entre os dois: o beiju leva a massa da mandioca, enquanto a tapioca usa a goma do mesmo legume.

O beiju pode ser feito na frigideira e acompanhado por diversos recheios. Os mais tradicionais são os de coco ou queijo coalho.

3. Tacacá

Tacacá

Olha a goma de tapioca aí de novo, minha gente! Esse insumo também pertence à receita do famoso "tacacá", prato exótico que foi preparado pela primeira vez muitos anos atrás por indígenas do Pará.

Além da goma, vão, no prato, tucupi (caldo à base de mandioca), camarões, temperos e jambu, aquela erva que provoca uma sensação de formigamento na boca quando é consumida nos alimentos ou até mesmo em bebidas.

4.  Pirão

Pirão

Outra receita que não nega suas origens, o pirão – ou angu, como é conhecido em alguns lugares – é uma receita que leva farinha de mandioca e caldo de peixe.

Podemos dizer que, em alguns pratos – principalmente aqueles que levam peixe –, o pirão chega a substituir o feijão. Falando assim, você se lembra de ter provado em algum momento?

5.  Pamonha

Pamonha

"É o carro da pamonha passando na sua rua!". Se você ouve esse anúncio hoje em dia é porque, lá atrás, os indígenas pensaram nessa receita super saborosa.

De origem tupi, a antes chamada "pamuna" é um quitute bem brasileiro, feito à base de milho e comum nos estados de Minas Gerais, Goiás, Paraná e em todo o Nordeste do país.

Além de milho verde ralado, a receita da pamonha ainda leva leite de coco, sal ou açúcar, manteiga, erva-doce, canela e outros condimentos. Ela pode ser cozida na própria palha do milho ou em folhas de bananeira.

6.  Bolo de milho

Bolo milho

Mais uma vez, o milho aparece em receitas criadas pelos indígenas, o que mostra sua importância para a culinária desses povos.

Queridinho dos cafés da tarde Brasil afora, o bolo de milho é mais uma forma de aproveitar esse vegetal de fácil cultivo e rico em nutrientes, que pode ser consumido cru, cozido ou em diversas receitas.

Além do milho cozido, o bolo em sua versão tradicional leva leite de coco, ovos, leite, açúcar e fermento. Preparou? Assou? Agora, é só servir essa delícia com aquele cafezinho!

7.  Bolo de mandioca

Bolo mandioca

Coloca mais um bolo pra conta que a gente vai voltar a falar de mandioca por aqui, afinal, não dá pra ficarmos muito tempo longe desse ingrediente tão importante em toda a história e cultura indígenas.

O bolo de mandioca fofinho e quentinho que a gente come junto com café, chá ou até sorvete hoje em dia, já foi – e ainda é! – fonte de nutrição para muita gente.

8.  Paçoca de banana-da-terra

Paçoca banana da terra

A banana-da-terra é um dos tipos de banana que é mais firme e menos doce e costuma ser muito consumida junto com comidas típicas da Região Norte, como acompanhamento ou fazendo parte das receitas. O mesmo vale para a Região Nordeste!

Ela pode ser servida cozida, assada, frita, em pratos salgados ou doces e pode virar uma deliciosa paçoca!

Além das bananas assadas e amassadas, a receita de paçoca de banana-da-terra é feita com coco fresco ralado e mel e é servida gelada. A versão salgada do mesmo preparo pode levar cheiro-verde, pimentões, leite de coco e azeite de dendê. Experimente!

9.  Moqueca

Moqueca

Acredite se quiser, tudo indica que as raízes da moqueca sejam indígenas! A palavra "moqueca", inclusive, vem do tupi e faz referência à "moquém" – a maneira de assar o peixe "enrolado" em folhas de bananeira ou semelhantes.

O prato já levou banana-da-terra, sobre a qual falamos anteriormente, como ingrediente fundamental em algumas regiões. Atualmente, leva peixe assado ou cozido, vegetais também cozidos, azeite de dendê e leite de coco.

Em 2013, foi considerado pelo Ministério do Turismo brasileiro, como "item" indispensável para turistas que querem conhecer o país.

10.  Farofa de caju com mocororó

Farofa caju mocororó

E já que falamos de paçoca, porque não falar de farofa, né? Ou melhor: mais especificamente, do mocororó, iguaria usada para fazer farofa de caju e outros pratos e que é, nada mais nada menos, do que outro insumo herdado por nós dos povos ancestrais do nosso país. Você conhece?

Bebida preparada pelos indígenas Kanindé e por mais de uma dezena de outras comunidades indígenas do Ceará e servida em rituais e festejos, o mocororó vem do processo de fermentação do caju e tem, sim, teor alcoólico.

Sua história traz tantas curiosidades sobre o modo de viver e as tradições que ele se tornou objeto de vários estudos. Além disso, tem uma festa exclusiva para celebrá-lo, organizada pelo povo Jenipapo-Kanindé há mais de cinco anos, sempre no mês de setembro.

11.  Canjica

Canjica

Chamada de "mungunzá" no Nordeste, a canjica foi criada pelos tupinambás e é um dos pratos indígenas que acabou integrado a outras culturas, já que se tornou típico das festas juninas que acontecem no Brasil inteiro.

A receita, feita originalmente com milho branco, foi adaptada às mais diversas etnias e pode ser feita também com o milho amarelo. Além do principal ingrediente (milho), a canjica pode levar leite de coco ou leite condensado, coco ralado e fresco, canela e amendoim.

12.  Jiquitaia

Jiquitaia

Uma pimenta ou uma formiga? Jiquitaia dá nome aos dois e, por causa disso, caiu no dito popular como um termo usado para designar "coisas ardidas", digamos assim.

Em se tratando de origens indígenas, jiquitaia vem do tupi como "pimenta-malagueta" especificamente em pó, mas podemos considerá-la uma receita porque, quando produzida pelos povos Baniwa, na Amazônia, na verdade, representava uma reunião de vários tipos de pimenta.

Todas ficavam secando no sol, passavam por um processo de defumação e só então eram moídas e transformadas em tempero. Essa mistura é a verdadeira jiquitaia!

13.  Damorida

Damorida

Ainda falando sobre pimenta e retomando ao assunto "caldo de peixe", que provavelmente já deu água na boca quando você leu sobre moqueca, destacamos agora a damorida, que pode ser:

  • um caldo de peixe bem apimentado; ou
  • um prato com carne de caça moqueada (grelhada).

Sempre servido com farinha e beiju e feito, é claro, pelos indígenas no decorrer da história!

Digna de celebração, a damorida é outra receita que ganhou uma festa exclusiva para celebrá-la, realizada na comunidade Malacacheta, na Serra da Lua, em Roraima.

14.  Chimarrão

Chimarrão

Uma comida típica que não é bem comida, mas merece destaque, o chimarrão tem origem indígena, você sabia? Consumi-lo era hábito dos povos guaranis, aimarás e quinchas ao redor de toda a parte Sul do nosso continente.

De acordo com pesquisadores, essa bebida surgiu como um líquido feito com folhas picadas e água quente, consumido em uma espécie de recipiente feito com fibras trançadas, e era chamada pelos indígenas de "caá-i" ou "água de erva".

15.  Buriti

Buriti

Ainda com fome de descobertas? Então, antes de irmos, que tal um alimento que acabou dando origem a outros produtos? Você provavelmente já ouviu falar do buriti!

O fruto, que era consumido "puro" pelos povos indígenas, se tornou insumo para preparo de mousses, sorvetes e outros doces. Além de tudo, é super usado para artesanato (e resulta em peças lindas!) e, mais do que nunca, vem ganhando destaque na produção de cosméticos.

Tem um monte de gente usando o buriti no cabelo, no corpo e até na decoração, inclusive fora do Brasil!

Não é incrível perceber como nosso país é miscigenado e as nossas origens tão ricas? Apostamos que você se surpreendeu com tudo que aprendeu depois de ler este artigo e quando se deu conta que consome várias iguarias indígenas que talvez nem imaginasse!

Vai preparar uma das receitas que trouxemos ou pedir por delivery? Tira uma foto, posta nas redes sociais e marca a gente! @deliway_br.

E-Book grátis

15 ideias de embalagens para inovar no delivery

O que você achou do post?

624 Respostas

Deixe seu comentário